• O Editor

NBA: Kyrie Irving não teria tomado vacina 'em protesto pelos que perderam seus empregos', diz site.


Foto: SI


Armador do Brooklyn Nets, inclusive, foi afastado nesta terça-feira até estar apto a jogar todos os jogos em NY

Nesta terça-feira, o Brooklyn Nets anunciou que não contará com Kyrie Irving enquanto o armador não tomar a vacina contra a COVID-19 e, portanto, estiver impedido de participar nos jogos em casa da equipe.

De acordo com as regras sanitárias de Nova York, o armador pode treinar com a equipe pelo fato do centro de treinamento dos Nets ser um "prédio público", mas não pode entrar no Barclays Center, casa do Brooklyn, por não estar vacinado. A não vacinação e o posicionamento de Kyrie diante da questão têm sido uma grande polêmica na NBA.

O melhor da NBA você acompanha pela ESPN no Star+.

Uma matéria do site The Athletic, assinada pelo repórter Shams Charania, publicada nesta terça-feira, traz a perspectiva de Kyrie Irving sobre a situação. De acordo com a reportagem, o armador do Brooklyn Nets não tomou a vacina "por estar incomodado com as pessoas que perderam seus empregos por conta das imposições em relação à COVID-19".

Segundo fontes próximas ao jogador, essa foi a justificativa dada pelo camisa 11 para seus companheiros e, para ele, não se vacinar "é sobre uma luta muito maior do que o acontece dentro das quadras".



"Kyrie quer ser a voz daqueles que não têm voz", disse uma fonte próxima ao atleta. Com a decisão de não tomar a vacina e, posteriormente, o afastamento por parte dos Nets, Kyrie Irving pode deixar de lado mais de U$ 200 milhões (cerca de R$ 1,1 bilhão).

O jogador perderá U$ 16 milhões de bônus de salário por não jogar na temporada e não deve ter seu contrato renovado. Os valores estipulados de uma possível renovação eram de U$ 186 milhões.


Fonte: ESPN

6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo