• O Editor

Ministério lança hotsite para mostrar transformações da economia

Principais ações realizadas estão disponíveis no hotsite "Caminho da prosperidade"

O Ministério da Economia lançou na segunda-feira (13/6), hotsite com a história da transformação econômica brasileira. Nos últimos anos, o país avançou em uma agenda baseada em um binômio econômico de controle de gastos e reformas pró-mercado, que permitiu a atração de investimentos, maior inserção internacional do país, conquistas nas áreas de produtividade e competitividade, aumento da eficiência do Estado, estímulos à geração de empregos, ações que estão restaurando o equilíbrio fiscal. As medidas implementadas podem ser conhecidas no hotsite Caminho da prosperidade.


Só a reforma da Previdência vai gerar uma economia que pode ultrapassar R$ 800 bilhões em 10 anos. Além disso, foram tomadas medidas para não permitir que o Estado gastasse mais do que arrecada. Iniciativas que permitiram a interrupção de uma sequência de anos de déficit das contas da União, mesmo com o investimento de cerca de R$ 800 bilhões no enfrentamento da pandemia da Covid-19, que preservaram vidas, empregos e empresas. Medidas sólidas permitiram a retomada da economia em V, após o primeiro ano de pandemia e a geração de 12 milhões de empregos, nos últimos três anos.

“Estamos transformando a economia brasileira trazendo bilhões de investimentos e controlando os gastos do governo, para garantir que os impostos sejam usados em benefício do cidadão”, ressalta o ministro da Economia, Paulo Guedes.



Modernização

A reforma digital dos serviços públicos tornou o setor mais eficiente. Hoje, mais de 74% dos serviços podem ser acessados na palma da mão dos mais de 130 milhões de cidadãos usuários, que coloca o país como o sétimo governo mais digital do mundo, e o primeiro da América Latina.

Mas não só o Estado se modernizou. Porque o governo acredita que quando o ambiente para fazer negócios melhora, beneficia toda a economia, gera emprego, renda, desenvolvimento.

As reformas implementadas já reduziram o custo de fazer negócios no país em quase R$ 400 bilhões. Hoje, uma empresa é aberta em menos de dois dias, e aquele que teve que fechar, consegue começar novamente um negócio com muito mais agilidade. O resultado é o aumento do empreendedorismo.

O acesso ao crédito para todos os empresários, dos pequenos aos grandes, para mulheres e para homens, também foi facilitado. O governo está dando garantias aos bancos para permitir o acesso mais fácil do empreendedor ao dinheiro, com custos mais baixos. A expectativa é de alavancar quase R$ 100 bilhões em financiamentos, contribuindo para mais geração de empregos. Além disso, com a modernização das leis trabalhistas, está mais fácil contratar.



Investimento

O casamento entre redução da burocracia e as novas tecnologias implementadas permitiu que o comércio do Brasil com o mundo também se expandisse, dando protagonismo internacional ao país. Com o Portal Único, o prazo das operações de exportação passou de 13 para cinco dias e das importações de 17 para nove dias no despacho aduaneiro, gerando uma economia de R$ 160 bilhões anuais.

As informações sobre essas mudanças que promoveram a facilitação dos negócios e o aperfeiçoamento da segurança jurídica no Brasil chamaram a atenção do mundo. Nos últimos três anos, o Brasil atraiu mais de R$ 800 bilhões em compromissos de investimentos para os próximos dez anos. As oportunidades estão em diversas áreas: aeroportos, portos, terminais pesqueiros, rodovias, ferrovias, energia, mineração, telecomunicações, iluminação pública, saneamento.

Em 2021, apesar dos desafios mundiais, o Brasil foi o sétimo maior destino global de investimentos estrangeiros, recebendo US$ 58 bilhões – quase 40% de todo o volume destinado à América Latina. Em 2022, registrou um aumento de 26% nesses ingressos. O Brasil é, hoje, a maior fronteira de investimentos do mundo.



Nos países desenvolvidos, todos sabem que não é preciso usar apenas dinheiro do orçamento público para resolver os problemas de infraestrutura. O setor privado também tem interesse em investir nestas obras. E o investimento de hoje são o emprego e a renda de amanhã. E só para demonstrar o quanto esse ciclo é importante e transformador, apenas o investimento em saneamento básico tem um potencial de universalizar os serviços de água e tratamento de esgoto a 100 milhões de pessoas. Isso significa um amplo mercado que atrai mais empresas, mais oportunidades de emprego, gerando renda e, consequentemente, bem-estar e saúde – um ciclo virtuoso.

O conjunto de reformas implementadas nos últimos três anos melhorou a vida do cidadão da porta da casa para fora: deu condições para tornar-se mais autônomo, empreender, diminuindo o peso do Estado e fazendo com que as políticas públicas sejam voltadas àquilo que é essencial: saúde, educação e segurança.


Fonte: Ministério da Economia

Indicação da Matéria: O Editor

4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

ESTRÉIA