• O Editor

Workshop TRIIP Brasil debate medidas de segurança no transporte interestadual

Primeiro workshop da ANTT tratou de temas voltados à necessidade de evitar mortes nas rodovias federais


A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), por meio da Superintendência de Serviços de Transporte Rodoviário de Passageiros (Supas), realizou, nessa terça-feira (19/04), o “Workshop Triip Brasil - Salvando Vidas”, voltado para as boas práticas de segurança do transporte rodoviário interestadual e internacional de passageiros (TRIIP). O encontro abordou três eixos centrais: motorista, frota e operação. 

O “Workshop Triip Brasil - Salvando Vidas” contou com convidados como empresas do setor, pesquisadores acadêmicos e a própria Agência, que futuramente deverá propor uma Audiência Pública para tratar sobre o novo marco regulatório do transporte rodoviário interestadual de passageiros.

O especialista em regulação da ANTT Ricardo Timóteo apresentou a primeira roda de debate sobre segurança para o transporte rodoviário de passageiros, que teve como tema “Boas práticas de segurança relacionadas aos motoristas” e contou com os palestrantes Adriana Modesto de Sousa (doutora em Transportes) e André dos Santos, da Associação Brasileira de Empresas de Transporte Terrestre e Passageiros (ABRATI). 

“Precisamos buscar medidas voltadas para o condutor desse tipo de transporte, tais como proteção e qualidade nas jornadas de trabalho, novos investimentos e tecnologias. Além de orientar a população sobre os perigos do transporte irregular,” comentou Ricardo Timóteo. 

A segunda rodada contou com a moderação do superintendente de Fiscalização de Serviços de Transporte Rodoviário de Cargas e Passageiros (Sufis), Felipe Ricardo da Costa Freitas, e o tema foi “Segurança na operação do TRIIP.” Os palestrantes foram Aldo Brito, da Associação Nacional das Empresas de Transporte Rodoviário de Passageiro (Anatrip) e Edson Lopes, da Associação Brasileira de Mobilidade e Tecnologia (Amobitec). 

O terceiro painel sobre “Segurança e manutenção veicular no TRIIP” teve como palestrastes Orlando Zibini (Mercedes Benz) e Júlio Scalisse, Diretor Executivo de Manutenção e Vendas de Veículos do Grupo JCA. O coordenador Geral de Educação e Saúde Para o Trânsito, da Secretaria Nacional de Trânsito (Senatran), Everaldo Valenga mediou a roda de debates. 

A palestra de encerramento foi sobre as medidas de segurança veicular e novas tecnologias e cuidados com a manutenção dessa frota. A roda de debate foi sobre as “Diretrizes da Política Pública para Segurança Viária e para o TRIIP” e teve a presença de Felipe Queiroz, secretário-executivo adjunto do Ministério da Infraestrutura.   

“Precisamos estar atentos à segurança dos veículos, do transporte rodoviário e ainda ao comportamento e educação do condutor para o trânsito. Alinhando associações representantes de empresas, os usuários, bem como diversos órgãos do governo para o debate de fatores essenciais para a segurança nas rodovias. Assim, teremos mais informações para alinharmos as políticas governamentais”, disse o diretor geral da ANTT, Rafael Vitale. 

“Desde a primeira contagem de vítimas por acidentes, o Brasil possui a triste marca de mais de 2 milhões de mortos em rodovias. Precisamos reverter estes números, estar atentos a segurança num âmbito global”, comentou Rodrigo Cezar Borges, diretor do Departamento de Regulação e Fiscalização da Senatran do Ministério da Infraestrutura.  

Redução de mortes - O Workshop Triip Brasil iniciou uma jornada de debates no calendário anual da ANTT. São ações em consonância com o Plano de Desenvolvimento de Pessoas (PDP 2022), que buscam estabelecer regras gerais para a exploração dos serviços e infraestrutura de transportes terrestres para a melhoria dos serviços e a promoção de um ambiente atrativo a novos investimentos. 

Tais ações debatidas no Workshop Triip Brasil vêm ao encontro do Plano Nacional de Redução de Mortes e Lesões no Trânsito (Pnatrans). Criado pela Lei 13.614/2018, o plano prevê ações voltadas para reduzir à metade o índice de mortes no trânsito, dentro de um período de 10 anos. São seis pilares que compõem o Pnatrans: Gestão de Segurança no Trânsito; Vias Seguras; Segurança Veicular; Educação para o Trânsito; Atendimento às vítimas; Normatização e Fiscalização.  



Fonte: ANTT

Indicação da Matéria: O Editor

11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo