• O Editor

Ateus atacam serviço de capelania da polícia nos Estados Unidos

Ateus argumentam que capelanias são inconstitucionais.

Menino orando por policial nos EUA (Foto: Reprodução/Facebook)


Grupo ateu chama capelanias policiais de inconstitucionais e exigem que força policial de Ohio pare com o programa de longa data.

De acordo com a CBN News, os capelães dão apoio espiritual e emocional a órgãos militares, políticos, policiais entre outros, apoiando pessoas e famílias em lutas que enfrentam.

No entanto, o grupo ativista ateu – Freedom From Religion Foundation (FFRF), de Masfield, não concordam com as atividades dos capelães.

“As capelanias policiais são inconstitucionais”, argumentam eles.

“O departamento de polícia de Mansfield [Ohio] precisa se livrar de seu programa de capelania imediatamente. A FFRF está pedindo à Divisão de Polícia de Mansfield que interrompa o programa de capelania e forneça serviços de apoio secular”, dizem os ateus em comunicado oficial.

Segundo informações, a organização diz que recebeu contato de um cidadão que estava preocupado com o que leu em artigo sobre o Pastor Chad Hayes, capelão que foi incluído à força policial.

Karen Heineman, colega jurídica da FFRF, escreveu para Keith Porch, chefe de polícia de Mansfield, sobre as reclamações que sua organização vem comentando a respeito da polícia promover religião.

“Os capelães do governo só podem existir como uma acomodação das crenças religiosas de um funcionário público quando o governo torna difícil ou impossível procurar ministérios privados. Por exemplo, pode ser difícil para os militares encontrarem um local de culto enquanto estão em missão em um país estrangeiro ou para um preso em uma prisão encontrar uma maneira de adorar”, escreveu ela.

“Os capelães devem aliviar um ‘fardo’ imposto pelo governo sobre o exercício religioso”, continuou.

O pastor Hayes, deu entrevista ao Mansfield News Journal e essa conversa parece ter causado frustração ao grupo ateu.

As citações de Hayes em seu artigo sobre Deus e fé, foram usadas pelos ativistas ateus. Eles dizem que as capelanias religiosas são inadequadas ao padrão de governo. Vale ressaltar, que o artigo de Hayes pertence a sua vida pessoal, apenas.

“Contanto que Deus esteja lá e a história esteja saturada sobre Cristo, e contanto que ele receba mais glória do que eu, então tudo bem”, disse Hayes.

“Seguindo o perfil do jornal do novo capelão, a religião forma a parte esmagadora de sua visão de mundo. Difícil imaginar o pastor Hayes ajudando habilmente os não-cristãos”, curiosamente o grupo ateu adverte.

De acordo com essa mesma lógica, podemos considerar difícil o apoio de serviços seculares, ou como eles resolveriam supostos preconceitos.

Hayes tem experiência em gestão de conflitos e assistência a pessoas com dependência, além de ser ex-fuzileiro naval.

É possível, portanto, considerar essas características válidas para quem deseja ajudar policiais e outras pessoas em suas dificuldades.


Fonte: Gospel Prime

Indicação da Matéria: O Editor

3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo